Conselhos tutelares de São Paulo e Rio tem maioria evangélica.

25 Jan

Conselhos tutelares de São Paulo e Rio tem maioria evangélica.

Segundo o Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente, em São Paulo 53% dos conselheiros que tomaram posse em 2020 são evangélicos. No Rio, estima-se, em um levantamento feito pelos conselheiros, que cerca de 65% também professam a evangélica.

Os conselhos tutelares foram criados para defender os direitos das crianças e adolescentes de todo o país, porém há alguns anos, inúmeros municípios têm visto esse órgão ser composto por uma maioria de indivíduos que fazem parte de grupos evangélicos.

A Igreja Universal do Reino de Deus (IURD) aparece como uma das maiores influenciadoras de conselheiros que ingressaram na política. Os evangélicos têm tido cada vez mais interesse em temas relacionados com as crianças e sociedade.

O crescimento de casos de violência doméstica contra crianças, abusos sexuais  e maus tratos geraram repercussão nacional e o interesse dos conservadores em se envolver na solução destes problemas sociais.

Ainda assim, a presença dos evangélicos nas instituições públicas geram muitas críticas de pessoas que não simpatizam com os conservadores, principalmente militantes de esquerda.

 

Mulher, Família e Direitos Humanos

O ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, que é comandado pela ministra Damares Alves, que é evangélica, acabou incentivando ainda mais a presença dos evangélicos para debater temas relacionados aos desafios sociais.

Frequentemente a ministra relata os desafios de ter de lidar com questões familiares, incluindo violência doméstica contra mulheres, abusos infantis e casos de violações de direitos humanos.